domingo, 27 de novembro de 2011

Resultados & Fotos do Black Trunk Fight 3!

Black Trunk Fight é marcado pelo Show de Nocautes e retorno de Wado!

Mais uma edição do Black Trunk Fight foi marcada pelas lutas movimentadas e intensas, com diversos nocautes ocorrendo nos 1os minutos de luta! No muay-thai a disputa mais equilibrada foi entre Pedro de Souza e Martinus. Pedro acertou excelentes chutes, que Martinus contra-atacou com sequências de socos e conseguiu uma vitória difícil por decisão dividida. Outra luta aguardada seria a apresentação da fera Claiton Josafa, mas a equipe rival Shotobushin (liderada pelo Sensei Machado) retirou seu atleta na última hora - segundo informações dos bastidores, eles julgaram a luta muito perigosa para o iniciante, mesmo o combate já estando fechado - Claiton então vence por W.O. e desafia novamente o Ivonei Predonick, fera da Junior Aguiar Team que venceu seu aluno no evento anterior.

No MMA a equipe Wado De La Riva deu show com Alemão, Learte e Willian, exceto por Maiquel Bigolin que perdeu para o duro Renato Pezinho! O atleta londrino, que vem de ótima fase na carreira, assimilou os excelentes chutes que sofreu no 1o round e voltou mais agressivo no 2o, encaixando uma joelhada na altura do plexo e retirando o taekwondista de combate.

E no mais aguardado combate da noite, o mestre Wado colocou seus ensinamentos em prática contra o veterano Felino! Wado utilizou sua maior envergadura e velocidade para se movimentar ao redor de Felino e disparar chutes e socos, conseguindo também uma boa queda no 2o round. No 3o round Felino entrou mais agressivo, mas Wado administrou bem a vantagem e venceu por decisão unânime. O mestre comemorou a vitória com sua mãe e causou grande comoção em pleno octógono.


RESULTADOS COMPLETOS:


MUAY THAI

60KG - MARCEL ADUR (CHUTE BOXE) venceu ANGELO ANTÔNIO (SHOTOBUSHIN) por nocaute no 1o round;

66 kg – CLAITON JOSAFA (THAI ART) venceu THIAGO CORUJA (SHOTOBUSHIN) por WO;

77KG -MARTINUS “PIT BUL” ADRIANO (THAI ART) venceu PEDRO DE SOUZA (LUIZ HASSE – BOXE CHINES) por Decisão Dividida.


MMA

73KG – MARCOS ALEMÃO (WADO) venceu WAGNER PITBUL ( FELINO TEAM - RS) por TKO (socos da montada) no 1o round;

70KG - PAULO COLASSO ( DE LA RIVA / PALHOÇA) finalizou LUCAS SANTANA (COMBATE MIX) com mata-leão no 1o round;

77KG - RENATO PEZINHO (TIDE – SPARTAN/ LONDRINA) venceu MAIQUEL BIGOLIN (WADO) por TKO (joelhada no tronco) no 2o round;

77KG - OSWALDO REGO “WADO” (WADO) venceu RONALDO FELINO (FELINO TEAM) por Decisão Unânime;

84KG - JOÃO ZEFERINO (ROUFUSPORT/GRACIE FLORIPA) venceu FABIO “INDIO” SELIM (GRACIE BARRA/ GUARULHOS) por TKO no 1o round;

73KG - LEARTE AZEVEDO (WADO) venceu DAVID DALTON DE MATOS (CIGANO TEAM) por KO (chute alto) no 1o round;

77KG - WILIAN COELHO (WADO) venceu WILLIAN TEIXEIRA (PRVT) por TKO no 1o round.


GALERIA DE FOTOS:

(Equipe De La Riva Floripa)

(Wado em ação contra Felino)

(Wado vence por decisão unânime)

(Wado dedica vitória a sua mãe)

(Sra. Amélia no clinche)

(Willian Coelho)

(Willian x Willian na luta principal)

(Vitória fulminante)

(Tradicional foto final)

...

Redação WVT.

4 comentários:

Walter P. Carpes Jr. disse...

Poxa, fiquei muito decepcionado com o Black Trunk III. E não fui o único. O pior é que eu mesmo tinha feito divulgação do evento na internet, pois acho que os eventos locais têm que ser prestigiados. Mas vamos aos principais problemas do evento:
- Pra variar, os atrasos absurdos. Poxa, anunciam o evento pras 19h30, mas as lutas só começam quase às 21h00. Além disso, deixam o povo esperando na fila, com os portões do ginásio fechados. Sorte que, desta vez, não estava chovendo. Isso é falta de respeito com quem paga e sai de casa pra assistir ao evento.
- A bagunça geral na (des)organização. Fica gente andando pra lá e pra cá falando ao celular, o público sentado no cimento e nada acontece. Aliás, pra que aquela apresentação de todos os lutadores no início do evento? Não ajuda em nada e só atrapalha a preparação dos atletas, além de atrasar ainda mais as lutas.
- O "announcer" foi uma piada de mau gosto. Fiquei com vergonha alheia várias vezes. Poxa, o cara é fraquíssimo e está sempre perdido. Errou várias vezes o nome dos árbitros, errou algumas vezes o nome do evento (chamou de Floripa Fight e de Sul Fight), trocou o nome do vencedor de uma luta e dizia sempre várias besteiras cada vez que falava alguma coisa. Foi motivo de piada de muita gente que estava lá, conforme pude constatar. Não tenho nada contra a pessoa, pois nem o conheço, mas definitivamente é preciso muito mais pra ser announcer. Entender de MMA já ajuda bastante, o que não parecia ser o caso do rapaz.
- Outra ideia terrível é botar um DJ que pensa que está numa rave. Poxa, a gente sai de casa pra ver MMA e tem que aturar aquela música de gosto duvidoso no último volume? Mesmo que a música fosse boa, não faz sentido aquele volume. Além de esperar sentado pelo evento, nem ao menos se pode conversar nem falar ao telefone, pois o barulho era ensurdecedor. Além disso, nem mesmo baixavam o som na hora em que o announcer ou qualquer outra pessoa falava ao microfone. Mal se ouvia o que falavam. E ainda tivemos que engolir aquele hip-hop gospel, sendo que era impossível ouvir a letra das músicas. O técnico de som, se havia um, fez uma lambança do início ao fim. Não falo só por mim, mas porque ouvi reclamação de muitas pessoas. Quem vai assistir a lutas, quer poder discutir e comentar. Gosto de MMA, mas não de música ruim estourando nos meus ouvidos.
- As homenagens, se quiserem fazê-las, deveriam ser feitas no fim do evento. Só atrasaram ainda mais o que já estava muito atrasado.
- E que vergonha foi aquela de ficar todo mundo esperando e o lutador ser proibido de lutar? Fiquei com pena do adversário, que estava preparado, trouxe os alunos e a família e ficou com cara de bobo, esperando por um adversário que nunca veio.
- Na entrada dos lutadores era sempre uma novela. Como a música estava alta e aparentemente não havia comunicação com os vestiários, os lutadores eram chamados e demoravam muito tempo pra aparecer. Isso quando não vinham e tinham que voltar, por causa de algum problema. Poxa, é só comprar um par de walkie-talkies e estabelecer multa pra quem for chamado e não estiver pronto.
- Só havia um telão e estava mal posicionado. Além disso, os replays dos lances das lutas não eram mostrados.

(continua)

Walter P. Carpes Jr. disse...

(continuação)

- Por fim, o nível das lutas foi bem abaixo do esperado. Com raríssimas exceções, as lutas foram mal casadas e a diferença de nível dos lutadores era enorme. A melhor luta, pra mim, foi a Martinus x Pedro. A do Wado x Felino foi pouco movimentada, mas pelo menos foi equilibrada e os lutadores, apesar da idade, não estavam mortos logo no primeiro assalto. A luta Pezinho x Bigolin também foi boa. As outras lutas, em sua maioria, foram muito desequilibradas. Tinha lutador ali que não tinha nível pra encarar seu adversário, o que é até bem perigoso. Três lutadores ficaram muito mal depois das lutas, depois de receberem pancadas fortes na cabeça e quase perderem os sentidos. É claro que isso faz parte do MMA, mas é arriscado demais casar lutas com lutadores de nível tão diferente. E se alguém morre no evento? Parece exagero? Não me pareceu, ao menos no sábado.
- Por fim, fiquei decepcionado que o Rangel Farias não lutou. Ele estava no card (contra o Venenoso), mas por alguma razão, a luta foi suspensa. Uma pena. Nesse caso, não é uma crítica, pois sei que isso acontece. Mas fiquei triste mesmo assim.

Bem, a intenção dessas críticas é a melhor possível. Gosto muito de MMA e sempre que posso prestigio (e divulgo) os eventos locais. Mas realmente gostaria que houvesse mais profissionalismo na organização. Os eventos são pagos e o público merece ver um bom evento. Ontem mesmo assisti ao evento "10 Minutos contra a Dengue", que passou ao vivo (de manhã!!) no Canal Combate. O evento foi organizado (em Duque de Caxias - RJ) em cima da hora, mas mesmo assim foi um sucesso e muito bem organizado. Não vi atraso e tudo transcorreu da melhor maneira possível (sem música berrando, sem atrasos, com um announcer de alto nível e com boas lutas). Vale a pena se espelhar nos eventos nacionais que são bem organizados, pois quem ganha com isso é o público e o MMA brasileiro.
Grandes abraços e até o próximo evento, torcendo que as coisas melhorem.

Anônimo disse...

Foi muito mal casada as lutas,mau organizado.
Também espero uma melhora no próximo.

Vale-Tudo Floripa disse...

Sobre as críticas:

Ola, demorei a responder pois tenho outras ocupações (trabalho, estudos e filho), mas seguem as considerações:


1o - Essas críticas foram muito importantes e irei sugeir que os organizadores leiam esses comentários;

2o - Quanto as lutas mau casadas, tenho que defender o evento! O Willian e Learte iriam encarar o Bergamo e Cigano, que são bons lutadores. Mas infelizmente eles saíram na última hora e só sobraram 2 estreantes, que lutaram por vontade própria;

3o - Quero agradecer a participação de vocês no blog e pedir para terem paciência, pois o Black Trunk Fight ainda está crescendo é mais um evento que veio dar oportunidades aos atletas e colocar Floripa no cenário do MMA nacional.


Abraços.